segunda-feira, outubro 11, 2004

CENSURA

"Eu compreendo que a censura os irrite porque não há nada que o homem considere mais sagrado do que o seu pensamento e do que a expressão do seu pensamento. Vou mais longe; chego a concordar que a censura é uma instituição defeituosa, injusta...
...resta ainda um aspecto em que a censura é forçada a intervir, de quando em quando, o aspecto doutrinário. Este aspecto tem duas faces, Ciência pura, mesmo no terreno politico, doutrina pura, doutrina sem acinte, doutrina de boa fé, de intuitos superiores e reformadores, é absolutamente legítima e demos já instruções para que não lhe cortem as asas, para que a deixem viver. Mas há também a doutrina com aplicação imediata, a doutrina subversiva, demasiado habilidosa, claramente habilidosa. Perante esta doutrina a censura, infelismente, não pode deixar de actuar, porque se transforma, nesse momento, na função natural dum regime de autoridade...
... Uma boa lei de imprensa pode reprimir certos abusos. Mas não os evita..."

Neste momento da leitura, todos vós estão a achar que este humilde escriba está a precisar de alguns calmantes ou outros venenos. Mas não. O texto que encabeça este post é da autoria do Dr. Oliveira Salazar, e qualquer semelhança com a actualidade é pura ficção (acho eu).

Após esperar por um discurso/leitura, discurso directo em diferido, apontado/anunciado para uma determinada hora, o qual perdi (também não estou interessado em achar) na primeira mão, mas vi/ouvi (aterrorizado) em diferido.
Ufa.
Se a vós vos custa a ler, imaginem-me a escrever...
Finalmente compreendi...
Volta António Ferro...

Ainda ontem recebi, por email, uma frase que ilustra bem o discurso (in)directo que acabei de ver/ouvir- "O melhor sogro do mundo é o nosso primeiro ministro. Vai deixar tudo à nora."

Aquilo que mais me atormenta é que não posso culpabilizar os seus eleitores. Neste ninguém votou.

Alguém que me leve para a mata e me dê um tiro nos miolos.




2 comentários:

F. Marinho disse...

PS. O "contraditório" era aquilo que eu esperava ver no "debate" de hoje. Mas afinal para o Dr. Pedro Santana Lopes ... "Faz o que eu digo, não digas o que faço"

Percebeste agora ó TP

ti disse...

Demorou a vir a resposta. Os teus assessores de imprensa estão a trabalhar muito devagar.
Mas gosto de te voltar a ver a assinares o que escreves.
Agora temos que pressionar o calimero para fazer o mesmo.
Não sei do que anda a fugir mas nós estamos cá para o proteger no que for preciso.
Certo?