terça-feira, novembro 30, 2004

Eis uma (boa?) ideia

Ao ler o artigo em anexo, fiquei a pensar que seria possível realizarmos um trabalho semelhante… temos comunicadores em número suficiente… estamos atentos… somos pessoas que sabem interpretar a realidade… com conhecimentos técnicos bastantes… sabemos escrever… alguns muito bem, mas são preguiçosos…temos todo o tempo do mundo… e motivos não faltam… resumindo: temos os meios e o motivo… poderá ser um crime perfeito…

Que tal se pensar num projecto? Dividir tarefas… recorrer eventualmente a um ou outro docente da UnI?

O problema de “No Reino do Anonimato - Estudo sobre o Jornalismo Online" é ser um documento já muito desactualizado…desde 2000 muita água correu… muitas coisas mudaram… apareceram os blogues, por exemplo. Nessa área já existem algumas coisas feitas… mas ainda se poderá fazer mais… analisar concretamente – com casos objectivos – os blogues como um novo tipo de fonte… os blogues como garante de liberdade de expressão… os blogues tendenciosos e manipuladores… os blogues falsamente anónimos… a forma de abordagem da notícia, nos media e nos blogues… há muita coisa, o campo é ser vasto, mas poderá resultar numa abordagem interessante, inovadora se tiver o ângulo certo… como o outro diria: depois de escolhido o point-of-view…

Que dizem os estimados colegas? Há alguém interessado? Acordem! Vamos sair desta dormência mórbida! Será uma boa oportunidade de colocarmos em prática algumas coisas que fizemos durante quatro anos…

Jornalista do "Expresso" Lança Estudo
Sobre Notícias na Internet

Por ANTÓNIO GRANADO
Segunda-feira, 29 de Novembro de 2004

Durante alguns meses, José Pedro Castanheira, jornalista do "Expresso", tentou perceber melhor o mundo do jornalismo "on-line", através do estudo de um caso que preencheu os noticiários no ano 2000: as notícias sobre a Fundação Jorge Álvares, uma criação do último governador de Macau, general Rocha Vieira. Hoje, José Pedro Castanheira lança em livro os resultados do seu trabalho, que defendeu como tese de pós-graduação no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa.

"A grande surpresa deste estudo foi a importância do anonimato nos comentários 'on-line', que ultrapassou tudo o que eu poderia imaginar", diz José Pedro Castanheira ao PÚBLICO. "Sob a capa do anonimato permitem-se todo o tipo de comentários, a resvalar para o pior que esse anonimato tem: o insulto e a calúnia." Os números apresentados por José Pedro Castanheira no seu livro não deixam margem para dúvidas: "Do universo de 730 comentários, só 46 (6,3 por cento) são identificados com nome e 'e-mail'. Um inquérito efectuado revelou contudo que apenas 8 leitores (1,09 por cento) assumiram a autoria do comentário e a verdadeira identidade" (p.170).

Este anonimato, segundo o autor, tem também perversas consequências nos próprios jornalistas do "Expresso", que responderam a um inquérito sobre a importância que atribuem aos comentários dos leitores: "O excessivo número de anónimos acaba por limitar muito as possibilidades de interacção entre jornalistas e leitores", explica José Pedro Castanheira. "Os jornalistas desinteressam-se dos comentários às suas próprias notícias."

Ao longo das 206 páginas de "No Reino do Anonimato - Estudo sobre o Jornalismo Online", José Pedro Castanheira explora os vários aspectos do jornalismo na Internet, analisando os seus riscos e as suas potencialidades. Se nos riscos, José Pedro Castanheira viu muitos, nas potencialidades também não ficou satisfeito: "Nem sondagens online; nem fóruns organizados e moderados pelo jornal; nem live chats; nem links internos nem praticamente nenhuns links externos; nem elementos multimédia, para além do texto e fotografia" (p.171). "Desde 2000, as coisas evoluíram muito em vários aspectos", reconhece, "mas as grandes tendências continuam semelhantes".

Apesar destas conclusões, José Pedro Castanheira não se mostra desanimado com o novo meio, antes pelo contrário: "O jornalismo 'on-line' tem um grande futuro à sua frente. Coloca uma quantidade de problemas e dúvidas que há que começar a pensar desde já, para tentar encontrar soluções que ajudem a limitar danos". E quanto à investigação? Por onde é que os investigadores devem seguir agora? "Há que fazer um estudo muito sério sobre a blogosfera, onde o fenómeno do anonimato me parece mais diluído", diz. "É claro que há blogues anónimos, mas esses tenderão a ver a sua importância diminuída. As pessoas cansam-se desse tipo de intervenções..."

O livro de José Pedro Castanheira é lançado esta tarde, pelas 18h30, no restaurante do piso 7 do Corte Inglés, em Lisboa. A apresentação do trabalho estará a cargo do historiador e colunista José Pacheco Pereira.

3 comentários:

ti disse...

Eu entro.

Anónimo disse...

Idem.

F.Marinho

Zuka disse...

Estou convocado!